terça-feira, 26 de julho de 2011

Estejam onde estiveram...

Maria e Fernando, avó materna e avô paterno:

Estejam onde estiverem quero apenas dizer-vos que vos amo e amarei.

 A ti, Maria, obrigada pela paciência, afinal cuidaste de mim desde que nasci. Ficavas imóvel junto ao meu berço apenas para me veres dormir, e para te certificares que eu não desaparecia para debaixo da cama como fiz quando ainda nem tinha 2 meses. Brincavas comigo às barbies, fazias roupa para elas e para o careca (que a minha querida irmã fez o favor de destruir). Fazias o meu lanche para eu lanchar em casa no intervalo da escola. Guardaste segredo quando descobriste que escondi na tua caixa de linhas as bananas e iorgurtes que não queria comer (pena foi a mãe ter descoberto outra que eu também escondi). Ensinaste-me a fazer crochê...que nunca tive muito jeito, mas se me dedicar ainda sei. Fizeste-me o rendado nos 500 panos de cozinha que tenho. Dedicaste-me 10 anos da tua vida em exclusividade. Fui só eu a tua neta. Apesar de existirem outros. E para essa dedicação e exclusividade não há palavras para agradecer e descrever todos os momentos que tivemos só as duas. Desculpa não ter estado sempre ao teu lado, mas a vida é mesmo assim, seguimos caminhos diferentes e tu tinhas outros netos, e bisnetos e trinetos que reclamavam a tua presença. Sinto uma saudade imensa...e foste embora numa altura muito complicada para mim...felizmente que nem soubeste. Terias um bisneto filho da tua neta preferida. Aconteceu tudo ao mesmo tempo...e pensei que não aguentasse, mas não te preocupes, aguentei-me! Fizemos tanta coisa juntas...mas olha que fiquei espantada contigo! Quando fui a Beauvais vi fotos tuas, do tempo em que lá viveste. E lá estavas tu, a fumar um cigarrinho!!!Ai ai ai avó! 70 anos e iniciaste o vício!?!Ri-mos tanto tanto. E cantavas o fado como ninguém! E convidavam-te para ir aqui ou ali cantar, e tu só ias com a condição de irmos todos também! E foram momentos tão felizes!  Tiveste uma vida muito dificil, pois que sim, mas amor e carinho à tua volta não faltaram! Tenho muitas saudades, mas tiveste 94 anos cheios de amor.

A ti, Fernando, avô Jau, obrigada pelo apoio! Tomaste as responsabilidades do nosso pai! Eras o ombro e o apoio da minha mãe, mesmo contra o teu filho!Foste tão importante na minha vida que nunca saberás ao certo o lugar que ocupas. Sei que não era a tua preferida, mas era-o a minha irmã! E tão bem que cuidaste dela. Obrigada pelas experiências de vida que me deste. Não gostava de ir contigo apanhar fruta, mas ia, tinha de ir. E acabava por me divertir. Tive liberdade para subir arvores, tomar banho nos rios, subir escadas e apanhar peras. Pisar as uvas e ficar enterrada até a cintura. Conduzir o tractor com 6 ou 7 anos. Brincar com o meu primo aos ladrões num barracão enorme do vizinho. Fazer barcos com casacas de arvores. Contigo aprendi a ser livre, a ser independente, a ser aventureira e não ter medo do mundo. Fazias a melhor sobremesa do mundo, qual bomba calórica, mas que todos adoravamos. Tinhas a paciência de nos mostrar os bichinhos todos, até o furão e a doninha. E os filhos da doninha também mostraste um dia, e fizeste prometer que não contavamos a ninguém. Fazias parte das nossas brincadeiras, em que finjiamos ver televisão e bebiamos limonada lá na casa do poço. Mostraste como se lavavam caracóis, ensinaste a plantar pinheiros, nogueiras e a cuidar dos pintos e dos coelhos. Claro que eu não aprendi muito, mas o João, que tu recebeste como neto e que te adora como avô, aprendeu tudinho tudinho e estou em crer que será ele o fiel seguidor da tua agricultura. Não hoje nem amanhã, que a vida não está para mudarmos de emprego, mas quem sabe um dia destes. Ele fá-lo por amor, tal como tu. Vimo-nos no ano novo e tu estavas bem! Sabias que eu ia a Paris nos anos do João. E sei que também tu querias lá voltar. E tinha ficado prometido. E até me ias levar ao aeroporto. Não deu, foste para o hospital sem aviso, mas sei que esperaste por mim. A minha viagem teve um sabor meio amargo, tal como o aniversário da Titiz, a tua primeira bisneta...mas tu sabias...tu estavas lá...apenas já não conseguiste aguentar mais um dia, mas esperaste por nós. Obrigada. Nós vamos sempre recordar-te por seres o melhor Avô e Bisavô de tanta mulher! Tenho muitas saudades, muitas mesmo. Por vezes esquecia-me que tinhas 83 anos. Parecias ter 60. E pareceste sempre ter 60. E foi assim que te conheci, com o mesmo corpo a mesma cara, a mesma voz, a mesma agilidade, a mesma força. Tenho saudades e jamais te esquecerei.

Recebam um beijo desta vossa neta...

2 comentários:

Saltos Altos Vermelhos disse...

Caraças até fiquei de lágrimas nos olhos :( Um beijo para eles sim e é uma benção ter convivido com eles :) eu infelizmente não sei o que é isso!

na america profunda disse...

Que palavras tao lindas... tambem tenho saudades do cacau da minha avo Palmira e dos beijos que tinha de dar na mao do meu avo Manel (na altura nao apreciava o gesto)
beijinhos e eles estao sempre a olhar por ti :-)