sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Nada se perde, tudo se transforma...

















Papel que as mãos transformaram, que a chuva teima em destruir e que as mãos transformam de novo, para que nada se perca, principamente a tradição de um povo.

2 comentários:

Sara* disse...

Numa simples palavra, LINDOOOOOO
A vontade e a motivação movem montanhas
Parabéns a quem tanto trabalhou,está tudo lindo

Anónimo disse...

Catrina da Salvada disse...
O Alentejo real não tem nada a ver com o Alentejo dos jipes, dos montes decorados pelo decorador da moda lá de Lx onde se passa dois dias para depois se apregoar lá no emprego que se foi ... ao Alentejo (uau que máximo!). O alentejo real é uma merda onde não existem empregos nem oportunidades para os jovens que queiram ... um pouco mais que a mediocridade e a maledicência das gentes alentejanas! Esta é a verdade politicamente incorrecta!

21 de Maio de 2011 17:06