sexta-feira, 13 de janeiro de 2012

Uma coisa parva que me ocorreu por ter visto alguém que conheço

O Amor tem mesmo de ser algo transcendente.

Pergunto-me o que leva uma rapariga gira, gira, gira, com 1,80m, corpinho de top model e simpática a apaixonar-se, namorar, casar e ter um filho de um tipo baixo, careca, marreco, feio, trombudo e mal vestido?

É certo que quem vê caras não vê corações, etc e tal, mas ainda assim no momento do enamoramento o mais certo seria a rapariga aproximar-se de alguém fisicamente mais parecido com ela.

É completamente parvo, eu sei, tecer comentários sobre a aparencia física de alguém e ainda por cima duvidar do amor que une duas pessoas. É parvo, mas ocorreu-me. Crucifiquem-me.

4 comentários:

Rita G. disse...

Provavelmente existiram outras coisas que a atrairam. O encantamento pela beleza não dura muito, e há outras coisas muito mais importantes, como o sentido de humor por exemplo:) bj

Um gajo qualquer... disse...

Analiso este post de duas formas...
Uma passa pela velha questão que por mais porreiro, inteligente, bem humorado, educado que um homem seja, se não for alto, bem constituído e bonito, não pode ter uma relação com uma mulher bonita. O que vai ao encontro da minha teoria teoria que o exterior conta muito mais que o interior, por mais que as mulheres (e homens) digam o contrário.
A segunda passa pelo... dinheiro! Tendo uma boa família, bom estatuto, boa conta bancária, bom emprego... não há careca que não tenha cabelo! :)

:)

S* disse...

Olha, é sinal de que pode ser toda gira mas não é fútil. :)

Candybabe disse...

Pois... Não sei...
Quem vê caras não vê corações :D
E afinal o amor é cego :P
ahaahahhaahhahahahahahahaha
Olha, que sejam felizes!